Portal da CIdade Pouso Alegre

FALECEU

Morre a diarista que teve o corpo queimado pelo ex-companheiro

Inconformado com separação, homem jogou gasolina e ateou fogo

Publicado em 05/08/2022 às 11:47

Neuza Braga ficou um mês internada e morreu na manhã desta sexta-feira (Foto: Redes Sociais)

Morreu na manhã desta sexta-feira (5) a diarista de 40 anos, que no dia 4 de julho teve o corpo parcialmente queimado pelo companheiro que não aceitava a separação. A tentativa de homicídio aconteceu em um sítio na zona rural de Piranguinho e a vítima se atirou numa piscina existente no local para se livrar das chamas.

Desde o dia do atentado contra sua vida, Neuza Braga estava internada no Hospital Escola de Itajubá, com 40% do corpo queimado. Ela teve assistência médica durante esse tempo e aguardava uma vaga no Hospital João XXIII, de Belo Horizonte, mas passou mal na manhã de hoje e faleceu em torno das 6h30. A mulher deveria ser submetida a uma cirurgia plástica já marcada para às 14h desta sexta-feira.

O corpo foi conduzido pera ser necropsiado no IML de Itajubá e, após liberado, será velado e sepultado. O horário ainda não foi definido.

O CRIME

Neuza Braga foi vítima do ex-companheiro Luiz Élcio da Cruz, um pedreiro de 54 anos com quem teve um relacionamento. O homem não aceitava a separação e se vingou da diarista, ateando foto no corpo dela com um galão de gasolina. 

Quando o crime aconteceu Neuza trabalhava como diarista num sítio. Ela foi surpreendida pelo homem que jogou gasolina no corpo dela e em seguida colocou fogo. 

A mulher foi salva porque havia uma piscina na propriedade rural, onde Neuza se jogou para apagar as chamas e depois foi levada em estado grave para o Hospital Escola de Itajubá, com queimaduras de primeiro e segundo graus em cerca de 40% do corpo.

Dois dias depois do atentado contra a ex-companheira, o pedreiro Luiz Élcio foi encontrado morto numa área de mata entre os bairros Vila Rubens/Boa Vista, em Itajubá. O homem era procurado pela polícia e foi encontrado com sinais de enforcamento, pendurado numa árvore por uma corda amarrada no pescoço.

Fonte:

Receba as notícias de Pouso Alegre no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário